Entrevista sobre políticas culturais com Telma de Souza (PT)

Nascida em Santos em 29 de setembro de 1944, Telma Sandra Augusto de Souza é divorciada e tem larga carreira política, já atuando como prefeita e vereadora de Santos, além de deputada estadual e federal. A candidato concorre à Prefeitura de Santos pelo Partido dos Trabalhadores (PT/13).

Dentro do seu plano de governo disponível no site do Tribunal Superior Eleitoral (Baixe aqui), a prefeiturável acredita que a política municipal de cultura deva ser reorientada ao incentivo à produção artística e formação de plateia. Telma também garante a ampliação dos espaços e projetos culturais ao longo da Cidade, a realização de uma conferência (que já ocorre em Santos) e, principalmente, um censo cultural.

Outro plano cultural também me foi enviado. Dessa vez, parte das propostas assumidas pela prefeita junto ao núcleo municipal de cultura do partido (Baixe aqui). Com ponto de vista partidário, o documento é bem completo ao contextualizar a trajetória dos segmentos artísticos da Cidade desde as últimas décadas.

Entre as propostas, o resgate à cultura caiçara, negra e indígena, a criação de um guia das atividades na Cidade (reformulação da Agenda Cultural), a interatividade dos acervos municipais com o plano digital, a criação de um ponto cultural no Centro Histórico, Morros e na Zona Noroeste Neste último caso, não sei se ainda se trata de um local necessário, já que esta região abrange espaços artísticos como o Centro da Juventude e o Instituto Arte no Dique. Confira a entrevista virtual com a candidata:

1) No seu plano, como será revitalizado a Bienal Nacional de Artes Plásticas e a Cidade Junina? Em nosso plano de governo para área da Cultura está prevista a implantação do Plano Municipal de Cultura em parceria com o Governo Federal e em acordo com o Plano Nacional de Cultura, a ser realizado conjuntamente com a classe artística e a comunidade em geral. Por ser de extrema importância para Santos, a Bienal de Artes Plásticas será retomada e realizada nos próximos anos de minha gestão, assim como a tradicional Cidade Junina.

2) Sobre o guia cultural, onde ele poderia ser distribuído? A Secretaria Municipal de Cultura contará com o modelo inter-secretariais nas ações: Cultura/Educação, Cultura/Turismo, Cultura/Comunicação, facilitando a participação e a difusão da informação e o acesso aos programas e eventos culturais.

3) Além da área central, Zona Noroeste e morros, caso eleita, você criaria centros na Orla e na área continental? Tendo a Cultura na perspectiva humana, na minha gestão estão previstas uma série de medidas:

– Construção de um Centro de Cultura, Esporte e Lazer da Zona Noroeste – com o fito de descentralizar os equipamentos culturais.
– Criação de Centro Cultural da Zona Intermediária – Encruzilhada, Macuco e Estuário – com utilização de espaços já existentes, com oficinas nas diversas linguagens artísticas e espaço para apresentações.
– Criar o espaço Centro Cultural dos Morros, com ações voltadas para as comunidades locais e valorização das particularidades culturais. Estão previstas, também, a criação de espaços públicos para a produção cultural da comunidade de Caruara e Ilha Diana.
– Cursos e Oficinas de Produção Cultural – Implantação de um programa de cursos e oficinas de produção cultural, a serem ministrados nos espaços culturais existentes e em outros que possam servir a esse fim, tais como as quadras de escolas de samba, praças e escolas municipais, visando o acesso generalizado da população às mais variadas linguagens e seus principais expoentes.
– Mobilidade Artística Cultural – Via Cultural – Ampliação dos projetos culturais hoje circunscritos à rua XV de Novembro e Rua do Comércio, constantes do Projeto Alegra Centro, para ruas adjacentes, Praça Mauá, da República, Dos Andradas, estabelecendo parceria com o Centro de Cultura Patrícia Galvão, diversificando as ações culturais, agregando maior público e oportunidades.
– Ampliar o itinerário e funcionamento do serviço do bonde turístico para os demais locais de manifestações culturais propostos no projeto Via Cultural.
– Região do Mercado Municipal – Utilizar a região onde se encontra o Mercado Municipal para ações culturais de forma a abranger a comunidade local, através de oficinas de formação das mais diversas linguagens culturais e artísticas e espaço para apresentações.
– Armazéns de 01 ao 04 – Revitalização dos armazéns de 01 ao 04 garantindo no projeto espaços de apresentações para artistas locais e a integração com o projeto Via Cultural, visando à revitalização do Centro Histórico.
– Criação de uma Escola Municipal de Música.
– Criação da Casa de Cultura do Caiçara – para pesquisa da cultura caiçara e desenvolvimento de atividades e manifestações culturais e de geração de renda.
– Cultura na Orla – Democratização e transparência nos critérios de participação nos espaços culturais disponíveis da orla da praia. Oferecimento de sessões no Cine do Posto 4, para estudantes de acordo com os temas do currículo com filmes adequados à faixa etária com conteúdo, histórico e cultural.

4) Como você avalia a gestão da atual Secretaria de Cultura? O que pode melhorar? Reconheço o esforço para realização de eventos pontuais do calendário oficial da cidade, mas é necessário ampliar o diálogo com toda a sociedade, em especial com os diferentes segmentos da área cultural. A partir do Plano Municipal de Cultura abrangeremos todas as questões culturais, produção, reprodução, divulgação, entre outros.

5) Você já acompanha as mobilizações artísticas e o Conselho Municipal de Cultura? Sim, sempre acompanhei, entendo a ação cultural como fundamental para o desenvolvimento humano e da cidadania plena. Acompanho, através de nossos mandatos parlamentares, os projetos na área do teatro, do cinema, da música, da dança, do Circo, entre outras linguagens. Sempre estivemos abertos ao diálogo com diversos grupos organizados de nossa cidade. Quanto ao Conselho Municipal de Cultura, realizaremos uma Conferência Municipal de Cultura para, entre outras definições, estabelecer a composição do novo Conselho Municipal de Cultura, do Condepasa e a forma jurídica de estruturação dos órgãos gestores de cultura no município.

6) Caso eleita, Santos será integrada no Sistema Nacional de Cultura logo no primeiro biênio da sua gestão? Sim, faremos a implantação do Plano Municipal de Cultura para o Decênio 2013/2023 de acordo com o Sistema Nacional de Cultura e articularemos ações entre o nível Federal e o Municipal.

Debate sobre cultura. O 10º Curta Santos – Festival de Cinema de Santos promove debate inédito dos prefeituráveis acerca da cultura no próximo sábado (22/set), às 14h, no Cine Roxy 5 (Av. Ana Costa, 443/Santos).

 

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s