Morricone é reverenciado em livro e concerto no Sesc Santos

Celebrando a obra do músico Ennio Morricone, o Sesc (Rua Conselheiro Ribas, 134/Santos) apresenta programação especial nos dias 13 e 14/jul com o projeto ‘Ennio Morricone L’Uomo Delle Stelle’. Na sexta-feira (13), às 19h, os músicos Tarso Ramos e Tony Berchmans, autores dos livros: “O Homem das Estrelas: vida e obra de Ennio Morricone e Ciência da Música – da teoria à regência”, e “A Música do Filme”, respectivamente, debaterão, sob a mediação do poeta e escritor Flávio Viegas Amoreira a íntima relação entre Cinema e Música.

Em duas ocasiões Tarso Ramos teve suas interpretações para a obra de Morricone apresentadas no programa de rádio Bandas Sonoras Originales, em Valência, Espanha. Em 2010 apresentou na Pinacoteca Benedicto Calixto, em Santos, o concerto Eruditos do Cinema Italiano onde interpretou obras de Morricone, Rota e Piovani ao piano solo. O livro ‘O Homem das Estrelas – vida e obra de Ennio Morricone’ abrange a vida particular do compositor romano, seu sucesso, primeiro como arranjador de canções italianas e posteriormente como compositor de trilhas sonoras para o cinema, e suas parcerias com Sergio Leone e Giuseppe Tornatore.

Tarso Ramos apresenta fundamentos para incluir Morricone como um dos maiores compositores da história da música, seu pensamento sobre como compor e aplicar a música no cinema, utilizando como exemplo a trilha de ‘A Missão’ (1986), além de uma análise de sua obra com detalhes técnicos e exemplos de partituras transcritas pelo autor.

Pelo sábado, às 20h, Tarso Ramos (piano/teclado e acordeão) e o grupo Quatro Quartos (Leonardo Mallet/violino, Robson Peres/viola erudita, Bruno Davoglio/baixo acústico, e Márcio Barreto/operação de vídeo, edição e direção) apresentam a obra de Morricone em concerto, com ingressos entre R$ 1 e R$ 4. Os músicos interpretarão a obra de Morricone para o cinema, com um telão ao fundo, com trechos de filmes musicados por Morricone e imagens do próprio compositor em ação. Morricone fez música para cinema, música de concerto, canções populares e arranjos para cantores de todo o mundo, demonstrando um conhecimento musical e cultural que ranscende o seu tempo. No século XX a música passou por transformações radicais e o músico participou ativamente desse movimento com o Gruppo di Improvvisazione Nuova Consonanza.

Quando compôs à maneira tradicional, acadêmica, arrebatou plateias de todos os cantos do planeta com suas melodias inconfundíveis e emocionantes, como ‘Cinema Paradiso’, ‘A Missão’ e ‘Era uma vez na América’, músicas que parecem saídas da eternidade e traduzidas para o mundo físico. Il Maestro, como é chamado na sua Itália, é imortal.

Ennio Morricone. Nascido em Roma no dia 10 de novembro de 1928, Ennio Morricone se tornou um dos compositores mais celebrados do século XX e figura entre os grandes nomes da história. No início da carreira, Morricone revolucionou as trilhas sonoras cinematográficas nos filmes de western dirigidos por Sergio Leone. Suas composições misturavam gritos fortes do coro masculino, guitarras e assobios com o som da orquestra sinfônica. Nesta época se destacam as trilhas de ‘Por Um Punhado de Dólares’ (1964); ‘Três Homens em Conflito’ (1966); e ‘Era Uma Vez no Oeste’ (1968).

Depois desses enormes sucessos de público e crítica, o nome de Morricone começa a aparecer com frequência nas telas do cinema internacional. Entre suas obras primas estão: ‘A Missão’ (1986) de Roland Joffé, ‘Cinema Paradiso’ (1988) e ‘Malèna’ (2001) com seu parceiro Giuseppe Tornattore e ‘Os Intocáveis’ (1987) de Brian de Palma. Sua obra não se restringe ao cinema e, tendo estudado no Conservatorio di Santa Cecilia di Roma com Gofredo Petrassi e frequentado os cursos de Darmstadt de música contemporânea, compôs obras importantes no cenário musical erudito do século XX. Entre suas composições sinfônicas se destacam: ‘Concerto n° per Orchestra’, ‘Cantata per L’Europa’, ‘Cantico del Giubileo’ e, no campo da música de câmara, ‘Cadenza per Flauto e nastro magnético’; ‘Scherzo’; ‘Rag in Frantumi’ para citar algumas. Entre vários prêmios e títulos acadêmicos que recebeu durante a prolífera carreira, estão o Oscar Honorário de 2007 pelo conjunto da obra e o prêmio Nobel da Música recebido em 2010.

*Márcia Costa/Sesc Santos

 

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s