Ademir Assunção e Ademir Demarchi em bate papo na Realejo

Dois dos autores mais respeitados da atualidade serão reunidos na Realejo Livros (Rua Marechal Deodoro, 2/Santos), em 14 de julho, sábado, 18h30: Ademir Assunção, jornalista, compositor, escritor e co-editor da revista Coyote e seu xará, Ademir Demarchi, criador do selo Sereia Ca(n)tadora e da revista Babel. Ambos lançaram livros recentemente – respectivamente “A Voz do Ventríloquo” (selo Edith) e “Pirão de Sereia”, pela própria Realejo  – e participarão de um bate-papo. No evento, haverá sessão de autógrafos e leitura de trechos das obras. Durante o encontro, rola a tradicional happy hour musical com jazz, bossa e MPB, de Edinho Godoy e Theo Cancello. A entrada é franca.

“A Voz do Ventríloquo” é o sétimo livro de Ademir Assunção. O quinto de poesia. O primeiro pelo Selo Edith (capitaneado por Marcelino Freire e Vanderley Mendonça). Foi premiado no Programa de Ação Cultural (ProAC 2011) para publicação de livros inéditos, da Secretaria de Cultura do Estado de São Paulo. Sobre o livro, diz o autor: “há poemas que são fruto da minha indignação com a violência da sociedade contemporânea, expressa tanto nas guerras explícitas, quanto na especulação financeira e na lógica exacerbada do consumo, que afastam as pessoas de uma vida mais densa e cultiva a ignorância coletiva como forma de lucros estratosféricos. Mas há momentos também de muito lirismo e de melancolia no livro. No fundo, a arte em geral continua expressando as mesmas inquietações que são comuns aos humanos, seja os do século XXI ou do século I: a finitude da vida, a solidão, os voos intelectuais, a espessura emocional”.

“Pirão de Sereia” reúne poemas concebidos ao longo dos 30 anos de carreira de Ademir Demarchi, e equivale a 17 livros, ou linhas temáticas. O livro foi contemplado pelo Facult 2010 e é editado pela Realejo, com quem Ademir já publicara “Os Mortos na Sala de Jantar”, de 2007. “Diante da dificuldade de publicação de poesia no país, este trabalho é um ato incisivo, faço um esforço de limpar a gaveta, trazer a público o que tem sido essa escrita e fazer um balanço de seus significados”, explica. “Publicá-lo dessa forma, como uma espécie de poesia reunida até agora, é uma comemoração à vida e à experiência de escrita, de insistência em ter uma vida sensível, ao mesmo tempo reflexiva, lutando para não sucumbir à vaidade, à rotina da vida, à normatização do pensamento, ao consumo e à sociedade tal comoestá instituída, organizada para a alienação, para a transformação de tudo emfutilidade, superficialidade e mercadoria”.

Ademir Assunção. Nasceu em Araraquara (SP), em 2 de junho de 1961. Formado em Jornalismo pela Universidade Estadual de Londrina, trabalhou como repórter cultural dos jornais Folha de Londrina (1983-1986), O Estado de São Paulo (1986-1988) e Jornal da Tarde (1990-1991). Foi editor-assistente do caderno “Ilustrada”, da Folha de São Paulo (1991), e editor-contribuinte da revista Marie Claire (1992-1994). Criou o Projeto Idade Mídia, oficina de jornalismo cultural, co-editou arevista de arte e cultura K’an, editada pelo poeta e artista gráfico Marcos Losnak, e participou de exposições de poesia visual em Sydney, Lisboa e Paris. Publicou os livros “LSD Nô” (poesia, 1994), “A máquina peluda” (prosa, 1997),“Cinemitologias” (prosa poética, 1998) e “Zona Branca” (poesia, 2001). Integrou as antologias “Outras Praias/Other Shores” – edição bilingue português/inglês (1998) e “12” (2000). Tem parcerias gravadas pelos compositores Itamar Assumpção, Edvaldo Santana e Madan, e pelas cantoras Maricene Costa, Patrícia Amaral e Titane. Foi co-editor da revista Medusa (1999-2000) e atualmente é co-editor da revista Coyote.

Ademir Demarchi. Nasceu em Maringá-PR, em 7/4/1960 e reside em Santos-SP. É editor das revistas de poesia BABEL – Revista de Poesia, Tradução e Crítica e Babel Poética, bem como do selo de livros artesanais cartoneirosSereia Ca(n)tadora, que publicou 21 títulos. Publicou “Passeios na Floresta” pela Editora Éblis e, pela Realejo, “Os Mortos na Sala de Jantar”. A revista Babel Poética foi selecionada em 1.º lugar entre 170 projetos em edital do MinC/Cultura e Pensamento/Petrobras 2010 para edição com distribuição nacional de 10 mil exemplares em pontos de cultura.

*Realejo Livros

 

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s