Maramgoni exibe hiper-realismo acadêmico na Pinacoteca


 

A partir do próximo dia 20 de outubro (quinta-feira), às 19h30, a Pinacoteca Benedicto Calixto (Av. Bartolomeu de Gusmão, 15) abriga a exposição “Maramgoni em Santos”. A mostra, aberta à visitação pública até 20 de novembro, traz 30 telas que retratam o cotidiano urbano em acrílica sobre tela.

Integrante da nova geração de artistas plásticos brasileiros de destaque internacional, Maramgoni nasceu na cidade de São Paulo, em 1972. Começou a pintar aos nove anos e aos 15 já tinha aberto seu próprio ateliê, ministrando aulas de óleo sobre tela. Autodidata e acadêmico, segue essa linha por um tempo até sentir necessidade de romper barreiras e buscar novas frentes, quando se debruça em estudos arquitetônicos, mais especificamente os voltados ao estilo greco-romano.

Após passar por vários momentos, linguagens e estilos, encontra, nas suas visões urbanas, um tema que possibilita o desenvolvimento da utilização de técnica balizada pelo academicismo, preconizando o conceito de luz e sombra e do diálogo entre as cores. As visões urbanas de Maramgoní estão caracterizadas por um fazer técnico que leva em conta princípios de arquitetura, como perspectiva e continuidade das linhas.

A partir daí, o artista passa a estabelecer sua própria linguagem, lírica nos seus melhores momentos, abstrata, no sentido de colocar questões e, urbana por ter nos edifícios e na cidade o assunto que estimula a sua matriz criadora.  Em uma evolução natural sua arte amadurece, estimulando ainda mais o desafio técnico e dando ênfase à relação visceral que tem com as tintas e a tela. Para Maramgoni, a arte é vista de uma maneira toda própria. “Mais do que discutir a arte, o artista necessita ter um envolvimento com aquilo que faz principalmente no aspecto de buscar um aprimoramento técnico e uma linha de trabalho que o satisfaça enquanto pesquisa estética”, explica o artista.

Aos 39 anos Maramgoni já ganhou prêmios de destaque nas artes plásticas, vencendo a VII Semana de Arte Tarsila do Amaral (1991) e arrematando o Prêmio Especial da Société Nationale Dês Beaux do Salon Du Carrousel Du Louvre, em Paris (2010), entre outros. Realizou exposições coletivas e individuais em várias cidades brasileiras e em países como Argentina, Estados Unidos, Portugal, Itália, Espanha e França.

A exposição tem curadoria de Antonio Carlos Cavalcanti Filho e conta com a presença de Maramgoni no coquetel de lançamento.

*Isa Santos/Gisele Kodja

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s